Críticas

No seu contínuo repensar, Angel San Martín torna-se intérprete de nossas fantasias.

EMANUEL VON LAUENSTEIN MASSARANI

O motivo inspirador de Angel San Martín se articula em infinitas variações. O artista se identifica, por meio do desenvolvimento de suas reações estilísticas, com uma intensa análise das formas que bastam para expressar a sua contribuição ao conhecimento de um modernismo específico.

Longe, entretanto, de uma certa vanguarda e de rudimentares tradicionalismos, o pintor utiliza um logos que tem caráter intencionalmente irreal, onde são facilmente identificáveis pressupostos intelectuais. Apesar de evidente plasticidade, suas telas permanecem totalmente subordinadas a um entrelaçado bidimensional.

A existência pictórica de San Martín está englobada na sua forma corpórea visível, no seu interior profundo e no segredo do ser… naturalmente, a causa, a finalidade, a consciência do ser. Este modo de pintar constitui uma proposta humana propedêutica à expressão que se torna fantasia frente a um mundo cósmico-natural.

Sempre com renovada persistência, este artista elabora e reelabora sutilmente o seu tema, empenhando sua maestria, onde encontra o seu caminho e uma sempre mais profunda confissão artística. Domínio técnico e estético, cromatismo diversificado e desenho ágil constituem elementos básicos e expressivos das rigorosas composições de Angel San Martín.

A exemplo da obra “Los Nuevos Animales que Naceran con el Nuevo Sol”, 04 da Série Futurista, da Exposição O Exílio da América Latina, doada ao Acervo Artístico do Palácio 9 de Julho, suas telas não nascem de impressões fugazes, mas de um sutil e contínuo repensar, passando a serem também intérpretes de nossas fantasias

Fonte: Diário Oficial – Acervo Artístico – São Paulo, 03 de Abril de 2004

 

 

Da Exposição “Pinturas e Letras”

João Marcos Coelho – Crítico Musical

Praticar mais de uma arte representa multiplicar os riscos. Em geral, é coisa de gênios absolutos, como Leonardo da Vinci ou Göethe. De vez em quando, um ou outro se aventura a transgredir fronteiras e acaba se dando bem. É o caso do artista plástico Angel San Martín, que funde ousadia com um talento amadurecido, em individual no Fernando Macedo Designer.

“Pinturas e Letras” são mostras distintas. De um lado, uma exposição  de pintura a óleo, que ilustra o livro “Poemas Pintados”; de outro, o livro “A Ressurreição de Mozart”, que combina com um conjunto de sessenta e quatro óleos em pequenos formatos, que compõem um encantador arabesco, dando conta da trajetória de quatro geniais criadores: Michelangelo, Leonardo da Vinci e os compositores Johann Sebastian Bach e Wolfgang Amadeus Mozart.

… San Martín tenta captar visualmente o “pathos“ dos quatro gênios. Emociona ver desfilar a vida dos grandes mestres, que se reencarnam em personagens da vida atual, procurando seus próprio destinos. O autor, sem preconceito, obedece apenas e somente, a seu impulso criativo.”

 Fonte: Jornal “Valor Econômico” 7,8 e 9 de 2001